ARTIGOS

SAÚDE DOS PÉS

Como escolher o calçado ideal?

Como escolher o calçado ideal?
Você nunca mais vai comprar seus calçados da mesma forma e provavelmente verá que escolheu errado a vida inteira.

Quando sadios, os pés garantem a sustentação e o deslocamento de nosso corpo, suportando cargas enormes durante a marcha, a corrida e o salto sem qualquer dor ou desconforto, porém, muitas vezes os pés são esquecidos, e, além do desgaste natural, não recebem a atenção que merecem, inclusive na escolha do calçado ideal. Verá a seguir, a importância de fazer uma boa escolha e dicas especiais que poderão fazer toda a diferença nas próximas compras.

A maior parte dos problemas nos pés, estão relacionados a sobrecargas que excedem sua capacidade de resistência, principalmente na prática esportiva. São os pés que suportam o peso do corpo e nos levam para todo lado, além de permitir correr, dançar, pular e nadar. Segundo a Associação Médica Norte Americana de Podiatras, as pessoas andam, em média, 210 mil km durante toda a vida. Assim, se considerarmos a superioridade do peso do corpo humano em relação ao pé, ao longo da vida de uma pessoa, é natural que os pés se desgastem, podendo ocorrer algum tipo de problema nessas estruturas.

Grande parte dessas lesões, podem ser evitadas através de uma correta prevenção podológica. O cuidado com a escolha do calçado é fundamental. Por falta de informação, muitos tentam resolver os problemas que surgem por si só e não procuram um profissional e o tratamento adequado. Muitas dessas lesões são incorretamente tratadas, algumas vezes relacionadas aos calçados usados, e com o passar do tempo se tornam crônicas, agravando ainda mais a situação.

Você sabia?
  • 52 ossos dos dois pés humanos representam 1/4 de todos os ossos do corpo. São 26 ossos em cada pé, 33 músculos, e é a parte do corpo que contém mais terminações nervosas por centímetro quadrado (por isso as pessoas sentem cócegas tão facilmente).
  • Os pés suportam 4 vezes o peso de nosso corpo quando corremos. Ainda assim, correr é uma das atividades menos nocivas aos pés. Esportes com movimentos rápidos e dribles impões pressões duas vezes maiores ao calcanhar e aos pés.
  • Por mais incrível que pareça ficar parado é mais cansativo aos pés do que se manter em movimento. Ficar parado tenciona o mesmo conjunto de músculos por um longo período.

O maior erro que a maioria das pessoas comete quando está comprando um calçado é pensar que todos os tamanhos são universais. Eles certamente não são! Variações nos tamanhos entre marcas e estilos podem ser dramáticas. Então, nunca use o tamanho do seu sapato atual como referência absoluta. A melhor maneira é se concentrar em fatos.

Existem vários fatores que favorecem na hora de escolher o calçado e não te deixam enganar com calçados que futuramente vão te apertar ou até mesmo sair de um pé. São simples os fatores, o principal deles é o tamanho de cada um de seus pés. Isso mesmo! Seus pés têm tamanhos diferentes, isso que permite que as vezes mesmo calçando um número maior ou menor que seu pé parece que ficou bom no momento da compra.

Outro fator muito importante que pode influenciar na hora da compra de um calçado são os pés inchados. Interessante né!? Tem os períodos certos dos dias para se fazer compra de calçados. O melhor período é ao fim do dia, porque os pés tendem a inchar durante o dia, então você prova o calçado com os pés estabilizados. Lembre-se que deve sempre levar em consideração esse inchaço, então calçados que fiquem sem muito espaço também não são uma boa opção. O ideal é sempre achar um meio termo e conforto.

“Eles são o contato entre o homem e a terra, e um dos mais importantes lugares simbólicos do corpo. “Os pés representam a força da alma, o suporte da postura ereta, a base de nossa estatura”

Evaris E. de Miranda - Escritor

É sempre importante consultar com um podólogo profissional, já que em alguns casos, o uso de palmilhas sob medida pode ser indicado. Normalmente, no primeiro atendimento ou antes de iniciar um tratamento, o paciente leva seus calçados de uso diário ou mais frequentes para serem analisados. Já reparou seus calçados mais velhos? Observe e verá que o desgaste e deformação ocorre de forma diferente entre os pés.

É comum provar o calçado, ficar perfeito e depois perceber que está machucando os pés. Se você nunca parou para pensar neste assunto ou se já faz tempo que não vai a um podólogo, procure nossa equipe! A Terapia dos Pés ficará feliz em lhe ajudar e orientar da melhor forma possível.

Como analisar as diferenças do próprio pé?

Na Terapia dos Pés, temos aparelhos e instrumentos que nos permitem analisar as diferenças e características de cada pé com exatidão mas, se por curiosidade você quiser verificar, poderá fazer em casa mesmo usando somente papel, régua e caneta ou lápis.

Como medir e comparar e analisar os seus pés

O próximo passo pode ser um pouco divertido. Coloque o pé no papel e, com uma caneta ou lápis, contorne o pé. Certifique-se de manter a caneta / lápis para cima e para baixo ao longo de todo o seu pé. Remova o pé e pegue a régua. Desenhe uma linha reta ao lado do pé paralelo à borda do papel. Certifique-se de que a linha é maior que o seu pé. Em seguida, desenhe outra linha na página no ponto mais alto e mais baixo dos seus pés. Certifique-se de que esta linha cruze a primeira linha que você desenhou. Por fim, meça a distância entre a intersecção da primeira e da segunda linhas. Isso lhe dará a melhor medida do comprimento do seu pé.

Não se surpreenda se houver uma ligeira diferença no tamanho dos seus pés e considere o tamanho maior para quando for comprar um calçado e não esqueça das dicas especiais que lhe daremos a seguir.

Principais dicas
  • Estar atento para os modelos femininos e masculinos devido as diferenças morfológicas
  • A marca de um calçado que pode ser ótima e confortável para uma pessoa, pode não lhe proporcionar os mesmos resultados para outra pessoa especialmente considerando a diversidade e biomecânica dos pés.
  • Comprar sempre considerando o pé maior, como vimos anteriormente, normalmente existe uma diferença entre o direito e esquerdo, e muito menos, comprar baseado no número do último par, existem diferenças entre marcas e modelos.
  • Mais importante do que combinar o calçado com o resto do figurino é saber qual o tipo mais apropriado para cada situação. Dirigir, praticar esportes, trabalhar, se divertir, relaxar... Vale à pena investir um pouco mais para cuidar dos seus pés.
  • Os dedos devem ficar livres e não tocar na ponta. Sugerimos que você permita pelo menos metade de um centímetro ou um centímetro inteiro. Ou seja, de 5 à 10mm extras, no mínimo. E se for de amarrar, faça-o corretamente para evitar que o pé fique deslizando dentro do calçado.
  • Provar sempre no fim do dia ou após uma caminhada, quando os pés ficam mais inchados. Provar vários modelos e andar com eles dentro da loja. E se for o caso, provar também com o mesmo tipo de meia que será usada.
  • Não estrear o calçado novo num dia de uso intenso ou competição esportiva. E aquele que já usa a bastante tempo, deve-se trocar com frequência os amortecedores, palmilhas ou calçados com as solas desgastadas.
  • Sapatos apertados também devem ser evitados, pois podem exercer pressão sobre a pele e unhas e contribuir para o aparecimento de unhas encravadas. Se você já sofre com esses e outros problemas, procure a Terapia dos Pés. Um tratamento especial poderá resolver tudo isso.
  • Se é para uso diário, é preciso levar em conta ao tipo de solo, que pode ser, duro, macio ou escorregadio. Hoje em dia é mais fácil escolher o tipo ideal de calçado, pois os fabricantes através de estudos anatômicos e biomecânicos oferecem grande qualidade nos produtos.
  • Se para a prática de esportes, considere o tipo de exercício, por exemplo; correr ou esportes como o tênis ou o basquete onde se realizam movimentos curtos ou bruscas freadas, aqueles que predominam os saltos e o futebol.
  • Não use o mesmo calçado todos os dias. Deixe que fique arejando no sol para evitar os fungos e fique atento à postura e ao limite do corpo. Qualquer sinal de desconforto, procure um especialista para adotar medidas preventivas ou corretivas o quanto antes.
  • Dê preferência a sapatos que permitam a entrada e circulação de ar, para facilitar a evaporação do suor e dificultar a proliferação de microrganismos e o mau cheiro. A maior parte das glândulas sudoríparas presentes no corpo humano se encontra nas mãos e nas plantas dos pés. Por isso, eles suam bem mais do que qualquer outra parte do corpo, chegando a transpirar até quatro vezes mais que as axilas.

As mulheres têm 4 vezes mais problemas nos pés do que os homens, devido ao calçado inadequado, principalmente, devido ao uso de saltos altos e frentes apertadas. Os homens também não estão fora de risco mas, seguindo essas orientações, sua rotina não irá comprometer o desempenho e a saúde dos seus pés. E quando se fala em seguir as orientações, não estamos dizendo que somente através deste artigo já não serão mais necessárias outras orientações. Apenas reforçamos alguns aspectos básicos, não dispensando uma consulta com seu podólogo.

O mais importante de tudo, não deixe de marcar sua consulta na Terapia dos Pés para uma orientação profissional!

Fontes:
  • Terapia dos Pés
  • Portal da Educação
  • IN SlideShares - Fátima Borges
  • Blogs, O Povo, Pés sem dor e Carreira Beauty
VEJA MAIS NAS REDES SOCIAIS